quinta-feira, 13 de junho de 2013

CGADB ausente do Centenário em Portugal


A Assembleia de Deus de Portugal comemorou, na semana passada, o centenário de sua fundação. A celebração contou com a presença de vários líderes assembleianos, entre eles o pastor George Wood, presidente do Concilio Geral das Assembleias de Deus nos EUA e da Fraternidade Mundial das Assembleias de Deus. A nota destoante teria sido a ausência do presidente da CGADB, pastor José Wellington Bezerra da Costa, e de qualquer representante enviado pela Mesa Diretora em nome das Assembleias de Deus no Brasil, apesar de regularmente convidada para esses eventos.

Lamenta-se que tenha sido dessa forma, pois os laços entre Brasil e Portugal começaram desde os primeiros anos de fundação da igreja em nosso país pelos missionários suecos. Logo no início, dois anos após iniciada a igreja, em 1913, a Assembleia de Deus de Belém, PA, através de seu pastor, Gunnar Vingren, enviou para o país lusitano o seu primeiro missionário, José Plácido da Costa, que marcou o início da AD naquele país. Em 1921 outro missionário foi enviado: José de Matos, que deu prosseguimento à expansão da igreja lusitana. O próprio missionário Daniel Berg deslocou-se para Portugal, em 1925, para cooperar na consolidação do trabalho.

Ou seja, é uma ausência que não se justifica. Se o presidente da CGADB estivesse impedido de comparecer por motivo superior à sua vontade, não custava nada enviar um representante dentre tantos pastores com condições de falar em nome de nossa igreja no Brasil. Poderia, pelo menos, enviar uma correspondência àquela igreja. Como se diz no jargão popular: bola fora! Mas o que se esperar de uma Mesa Diretora que internamente não tem feito nenhum esforço em busca da unidade, embora tenha sido esse o discurso do presidente depois de eleito?  O que se esperar de uma Mesa Diretora que quer a todo custo desligar dos quadros da CGADB o pastor da Igreja-Mãe, de onde saíram os primeiros missionários para Portugal?

Só nos resta pensar que a obssessão em promover mais uma cisão na AD do Brasil é tão grande que a Mesa Diretora não tem tempo para importar-se com a igreja coirmã em Portugal, que nasceu de nossas entranhas. É tanto que a comemoração dos 100 anos de fundação teve como partida a chegada de José Plácido da Costa em terras lusitanas.


O que mais vem por aí? Será que a CGADB deixará de estar presente às comemorações dos 102 anos a serem realizadas pela Igreja-Mãe na próxima semana?

PS. Outras informações sobre o Centenário em Portugal podem ser encontradas no site da Convenção Portuguesa. Veja aqui.

Obs. O pastor Davi Nobre Rocha, que também já foi missionário em Portugal, informou-me agora há pouco que por iniciativa pessoal e a convite da liderança lusitana esteve presente nas comemorações do Centenário da AD portuguesa, juntamente com os pastores Fábio e Celso Brasil. Segundo ele, o presidente da Convenção de Portugal ficou extremamente desapontado pela ausência do presidente da CGADB ou de seu representante.

9 comentários:

Tadeu de Araújo disse...

Pastor Geremias do Couto e demais irmãos, graça e paz!

Não se surpreenda, nobre pastor, pelo fato da CGADB não ter tido nenhum representante na comemoração do Centenário das Assembleias de Deus em Portugal.
Talvez tenha sido o peso na consciência do presidente da mencionada instituição, tendo em vista o descrédito por que passa a mesma, por causa das supostas acusações que há anos tornaram-se rotina.
Do contrário, poderá ter sido também, descuido da parte do pessoal que faz a Assessoria da CGADB.
No entanto, independente do ocorreu, não deixou de haver uma grande desconsideração.
Portanto, apesar das mazelas que tanto se comenta existir na entidade, oremos pela direção.
Pois, pelo que ouvimos extra bastidores, a coisa caminha para grande escândalo.
Que o Eterno tenha misericórdia da situação pela qual atravessa a Igreja Centenária.

Em Cristo,
Tadeu de Araújo

Pr. Davi Batista disse...

Nobre Pr.Geremias parabéns pelas informações sempre precisas que o senhor nos trás,sempre que elas surgem, é lamentavel tudo isto que vem acontecendo no seio de nossa CGADB.Uma vez que o Senhor Jesus nos chamou para a unidade.
Um forte abraço! Na paz de Cristo!

Fruto do Espírito disse...

Acabei de encontrar seu blog, e gostei muito do seu artigo, conteúdo esclarecedor e sobretudo espiritual.

Estamos vivendo tempo finais e difíceis, portanto, é necessário que pessoas se levantem para anunciar a salvação
através de Jesus Cristo.
Atalaiar é a ordem nos últimos dias da Igreja de Cristo.
Deus o abençoe!
E continue nesta missão que Jesus lhe concedeu.

APDSJC!
***Lucy***

A propósito, caso ainda não esteja seguindo o meu blog deixo aqui o convite:
Fruto do Espírito

P.S. Convido a conhecer o blog do irmão J.C.de Araújo Jorge.
Mensagens atuais, algumas polêmicas, porém abençoadoras...
Acesse e confira:
Discípulo de Cristo

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Geremias, não está na prioridade do dia na CGADB tais preocupações.

Anônimo disse...

No Centenário da Igreja de Portugal estava presente o Pr. Firmino da Anunciação Gouveia, Pr. de Honra da Assembleia de Belem de Belem, de 87 anos de idade, com sua esposa Ester e filha.

Pr. Florencio disse...

Nobre Pastor Jeremias de Couto.
A paz do Mestre de Nazaret.
Estou no Pará por o convite do Rev. Firmino da Anaunciaçao Gouveia e sua mui digna esposa hermana Ester. Eu pela misericordia do Senhor Jeová, sou un dos seis primeiros frutos da Obra missionaria da Igreja Mae na Bolivia. Mais eu quero que nossa Denominaçao siga sendo aquela que Gunnar Vingren e o Rev Daniel Berg. FUNDARAM no Pará. Grande abraço amado Mestre e Profeta do Senhor. Pr. Florencio Sánchez Aguilera - Bolivia.

Joabe disse...

Pastor Geremias sabe dizer se há alguma associação ou conselho internacional, entre as Assembleias de Deus dos países lusófonos ?

Joabe

Talita Lima disse...

A paz do Senhor,
Pastor Geremias.

Sou missionário, aqui em Portugal, enviado pela Assembleia de Deus em Parnamirim/RN, Igreja a qual o senhor já pregou. Não sei se o senhor lembra de mim, sou filho do pastor Elinaldo Renovato de Lima. Estou aqui em Portugal há pouco mais de 1 ano fazendo missões e estive presente, como um bom assembleiano, nas comemorações do Centenário da AD Portugal. Realmente senti a falta do Pr. José Wellington ou de alguma representação da CGADB. Confesso que fiquei procurando entender aquela ausência, mas ainda não alcancei as reais justificativas. Contudo, no que tange as festividades, achei muito simples para a expressividade da festa, porém muito bonita e revestida de muito significado histórico, principalmente para os pentecostais dessa Nação. Forte abraço!
Pr. Eliéber de Castro Lima.

davi nobre rocha disse...

Conforme o Nobre colega cita acima da nossa ida ao Centenário das Assembleias de Deus em Portugal, onde pela graça de Deus na Década de 70 estive trabalhando com os nossos queridos irmãos portugueses tanto em Portugal como na França. Para mim e os companheiros, pastores Celso Brasil, Fábio e outros que estavam lá conosco achamos formidável as comemorações do Centenário das Assembleias de Deus de Portugal. Estavam presentes no local escolhido quase 6000 pessoas. Foi lindo ver um coral de quase mil vozes. Parabéns para os pastores e Igreja da Assembleia de Deus de Portugal. Pastor Davi Nobre Rocha